.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. RASTREIO AUDITIVO NEONATA...

. MIELOMA MÚLTIPO

. "A DOR MENTE"

. MAIS BENEFÍCIOS DO CAFÉ

. SEMANA DA INCONTINÊNCIA U...

. HIV E SIDA

. BOAS FESTAS

. SUGESTÕES DE TEMAS?

. HIPERPLASIA BENIGNA DA PR...

. ENDOMETRIOSE

.arquivos

. Junho 2012

. Janeiro 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

APROVEITE PARA DEIXAR O VÍCIO

 

À beira de um novo ano e, simultaneamente, de uma nova lei - a Lei do Tabaco - aproveite para rever os malefícios do tabaco, aquela que é considerada a principal causa de morte evitável em todo o mundo pela Organização Mundial de Saúde:

 

- aumenta consideravelmente o risco de desenvolver cardiopatia isquémica e cancro do pulmão (principais doenças associadas à mortalidade derivada do tabagismo)

- desenvolvimento de aterosclerose

- doenças cerebro-vasculares (AVC)

- cancros (cavidade oral, laringe, faringe, esófago, pâncreas, bexiga, rins, colo do útero)

- doenças hormonais (menopausa precoce)

- osteoporose

- doenças respiratórias (bronquite crónica, enfisema, asma)

- doenças gastrointestinais (úlceras)

- diminuição da capacidade respiratória e do rendimento físico

 

 

O tabagismo é responsável por 90% das mortes por cancro do pulmão, 97% das mortes por cancro na laringe, 85% das por bronquite e enfisema, 25% das por doença cardíaca.

 

 

Os principais "venenos" que pode encontrar num cigarro são:

- a nicotina - droga psicoactiva, responsável pela dependência do fumador; actua ao nível do sistema nervoso central (SNC) e diminui a afluência sanguínea aos tecidos

- monóxido de carbono (CO) - diminui a oxigenação do sangue

- alcatrão - altamente cancerígeno

 

E ainda:

 

 

E agora aproveite o fim de 2007 e a nova lei do tabaco, reserve uma das 12 passas para um novo objectivo no novo ano, objectivo que contribuirá para que tenha muitas mais passagens de ano para festejar, diga NÃO ao vício do tabaco e sorria a uma VIDA SEM FUMO!

publicado por Dreamfinder às 14:21

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

COMBATER AS FRIEIRAS

 

Com a chegada do frio do Inverno chegam também as indesejadas frieiras. Pouco estéticas, incomodativas e, por vezes, limitantes dos movimentos elas são um mal a evitar.

Também denominadas eritema pérnio são uma doença provocada pela exposição ao frio que atinge, particularmente, as zonas vítimas de maior exposição ao ar e humidade: mãos, pés, orelhas e nariz. Manifesta-se por uma inflamação dolorosa da pele que fica inchada, vermelha e dá a sensação de comichão. Em situações mais graves podem mesmo dar origem a bolhas e, consequentemente, pode ocorrer a ulceração das mesmas com aparecimento de feridas dolorosas.

Os indivíduos que sofrem desta patologia evidenciam uma maior dificuldade em manter a temperatura corporal nas extremidades expostas, devido a uma vasoconstrição excessiva dos vasos sanguíneos que impede uma circulação normal e, por conseguinte, impede o normal aquecimento da pele favorecido pela mesma.

Entre os grupos mais susceptíveis a esta doença estão as mulheres (que, geralmente, têm pior circulação) e, sobretudo, as mais jovens e as mais idosas.

Esta patologia é condicionada por diversos factores desde a predisposição genética, até factores hormonais e outros problemas circulatórios. O frio e a humidade são factores que contribuem para desencadear e, eventualmente, agravar a doença.

 

 

A prevenção é, mais uma vez,  a melhor medida. Entre os cuidados a tomar deve manter-se a casa bem aquecida e usar acessórios adequados, sobretudo luvas, calçado quente e gorros de lã. As pessoas com tendência a desenvolver frieiras devem ter particular atenção à prevenção.

As frieiras também melhoram com a exposição ao calor moderado e com a massagem suave da zona afectada (facilita a circulação). O exercício físico também é favorável pois activa a circulação e, por isso, aumenta a temperatura corporal.

Na maior parte dos casos, as frieiras curam-se apenas com recurso à prevenção e à protecção das extremidades. Em situações mais graves, têm de ser utilizados vasodilatadores (mas apenas com indicação médica). Em caso de chegarem a ulcerar, é essencial consultar um médico especialista de Dermatologia.

Cuidado com os cremes que contém cortisona, pois esta induz vasoconstrição secundária e, consequentemente, pioram a situação.

 

 

Além dos fármacos tópicos (pomadas e cremes) existem ainda alguns produtos mais caseiros com fama de ajudarem a tratar deste mal, apesar da sua eficácia não estar comprovada. É o caso do alho (esfregar a zona com um dente de alho cortado ao meio), pó talco (diminui a sudorese das mãos evitando a perda de calor das extremidades), alguns chás, etc...

 

tags:
publicado por Dreamfinder às 18:37

link do post | comentar | ver comentários (35) | favorito
Segunda-feira, 24 de Dezembro de 2007

BOAS FESTAS

 

Desejo a todos os amigos e visitantes deste blog, um FELIZ NATAL, recheado de boas surpresas e alegrias, com muita magia e, claro, muita SAÚDE!

 

Votos de Boas Festas,

Vânia Caldeira

tags:
publicado por Dreamfinder às 22:10

link do post | comentar | favorito

OS EXAGEROS NATALÍCIOS

 

No meu regresso a este blog (após tão longa ausência) neste dia tão especial - a Véspera de Natal - o tema não poderia ser outro, senão o próprio Natal e os excessos a que nos sentimos tentados.

A família reunida em torno de uma mesa abundante... O bacalhau e o polvo, o peru e o cabrito desfilam pela mesa da consoada, juntamente com uma variedade de sobremesas inigualável: o bolo-rei, o tronco de Natal, as filhós e os sonhos, as broas, o arroz doce e a aletria, todo o tipo de tortas e tartes, a lampreia, o pão-de-ló e os pudins... além dos chocolates de todo o tipo.

Por tudo isto: Natal significa quase sempre excessos! Excessos esses que podem ser evitados ou, pelo menos, controlados com alguns pequenos truques.

Por exemplo, comer uma sopa meia hora antes do jantar de Natal é um truque perfeito para ter menos fome aquando do momento de se sentar à mesa. Além disso, um caldo verde ou uma sopa de legumes combinam sempre bem com o frio que se faz sentir na quadra natalícia. A sopa é quente pelo que enche o estômago, dando uma sensação de saciedade. Um copo de água ou uma peça de fruta também induzem efeitos semelhantes.

Comer devagar é outra das chaves do sucesso. Não só permite saborear melhor a comida, como dá tempo para que os devidos sinais de saciedade atinjam o cérebro e, assim, evitem que comamos mais do que o necessário.

Importante também é não atacar os bolos antes do tempo devido, ou seja, antes dos pratos principais. Esta medida não visa apenas salvaguardar a beleza e a integridade da mesa de Natal, mas sobretudo garantir que se comem os doces quando já se ingeriu outros nutrientes, promovendo, assim, uma menor absorção dos açúcares.

Outra medida que se pode tomar no sentido de diminuir a absorção de açúcares, é comer uma fatia de pão escuro, rico em fibras, após os pratos principais e antes dos doces.

Em vez de se comer um doce de cada vez, enchendo o prato todas as vezes que se escolhe uma nova sobremesa, pode-se encher logo o prato com pequenos pedaços de cada sobremesa, garantindo que se prova tudo, mas sem comer demais.

Claro que nem tudo é mau... O azeite usado no bacalhau é um óptimo antioxidante, embora apenas se deva usar um pequeno fio de azeite pois, sendo uma gordura, em excesso torna-se desfavorável.

Porque o tempo é frio, deve-se ainda optar pelo chá. Um chá verde ou um chá preto são também bons antioxidantes que neutralizam o excesso de açúcar.

 

Após tantas recomendações... resta-me desejar que desfrutem da quadra com tudo o que ela tem de melhor. Aproveitam o excesso de amor, amizade, carinho, alegria, surpresas, prendas, ... e deixem de parte os terríveis excessos alimentares.

Boa consoada e Feliz Natal!

 

publicado por Dreamfinder às 10:38

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007

MALDITOS GERMES!!!

 

Eles estão em todo o lado: os microorganismos fazem parte da nossa vida, quer queiramos, quer não. Mas será que temos a verdadeira noção dos locais mais contaminados?

Neste âmbito, a revista "Health" revela os resultados de um estudo que visou encontrar os 12 locais mais contaminados com germes.

 

E os "vencedores" são:

 

1º - Lava-loiças

Por muito lavado que esteja, esta parece continuar a ser a maior fonte de concentração de microorganismos, já que eles se acumulam no ralo do lava-loiças, mesmo após ter sido lavado. A esponja é outro paraíso para os germes.

 

2º - Casas de banho dos aviões

O reduzido espaço das mesmas leva a que as pessoas nem sempre consigam lavar as mãos devidamente e os germes acabam por concentrar-se.

 

3º - Roupa suja

A roupa que diariamente se acumula no cesto de roupa suja é um verdadeiro poço de microorganismos. Basta uma peça contaminada (por exemplo de roupa interior), para que rapidamente todas as restantes sejam invadidas por estes seres.

 

4º - Bebedouros públicos

Diariamente são local de passagem de inúmeras pessoas, a higienização destes não é frequente e, como tal, é um dos locais predilectos de acumulação de germes. Nos bebedouros das escolas chegam mesmo a existir um milhão de microorganismos por cada cm2.

 

5º - Carrinhos de supermercado

Não são lavados com frequência e diariamente passam pelas mãos de imensas pessoas. Mais um paraíso para os germes.

 

6º - Caixas de multibanco

Os botões destas caixas têm mais germes do que algumas casas de banho. Alguém já viu uma caixa de multibanco a ser devidamente desinfectada???

 

7º - Malas de senhora

Parece impossível, mas não é. As nossas malas são magníficas e luxuosas mansões para os germes. Porquê? Raramente são lavadas e estão diariamente expostas a várias fontes de microorganismos. Resultado: acumulam-se milhões de germes.

 

8º - Parques infantis

O estudo revela que nestes locais se encontram diferentes tipos de fluidos corporais: sangue, muco nasal, suor, urina, ... São assim locais priveligiados para os germes, que acabam por estar em contacto com as crianças. É fundamental lavar bem as mãos das crianças após terem estado num parque.

 

9º - Tapetes e máquinas de ginásios

Mais um local favorável à reunião de germes, devido à grande afluência de pessoas e à insuficiente higienização do local.

 

10º - Banheira

 

11º - Telefone da empresa

 

12º - Comandos de televisão

 

Entre os resultados estão alguns mais surpreendentes do que outros. Ideia geral: grande afluência de pessoas e má higienização são factores potenciais para a acumulação de germes.

 

Curioso também o que aconteceu na Inglaterra. Os médicos foram proibidos de usar gravata, já que não sendo uma peça de roupa lavável, é o local predilecto de acumulação de germes.

 

 

Apesar de tudo, o nosso corpo tem as suas próprias barreiras e está preparado, de uma forma geral, para conviver com estes muito pequenos organismos. No entanto, a prevenção é sempre fundamental:

 

- correcta higienização das várias estruturas da casa - lava-loiças, bancada de cozinha, banheira, casas de banho - com água e detergente, lixívia ou álcool

- cuidado com os animais em casa (e com as divisões da casa em que eles se movimentam)

- evitar ao máximo acumular roupa suja

- sempre que possível lavar as malas e outras peças de vestuário como cachecóis, lenços...

- e, sobretudo, LAVAR AS MÃOS frequentemente: antes de fazer o almoço, depois de usar uma caixa de MB, depois de ir ao supermercado, depois do parque..

É fundamental que lavar as mãos se torne um hábito, um gesto automático. 

 

publicado por Dreamfinder às 13:50

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 1 de Dezembro de 2007

DIA INTERNACIONAL DA LUTA CONTRA A SIDA

 

No dia internacional da luta contra a SIDA é fundamental recordar que a SIDA continua a ser uma realidade dos nossos dias e, sobretudo, lembrar a necessidade de mudar comportamentos na nossa sociedade, tanto no que respeita a prevenção, como no que toca a discriminação silenciosa de que são vítimas os portadores desta doença.

A SIDA é uma doença do sistema imunitário causada pela infecção com o vírus HIV (vírus da imunodeficiência humana).

Os vírus não se conseguem multiplicar independentemente, pelo que necessitam de um hospedeiro. No interior das células humanas, este retrovírus utiliza o material genético humano (DNA) para se replicar e aumentar consideravelmente o número de partículas virais.

O HIV infecta as células de defesa do organismo humano, predominantemente os linfócitos T CD4+, que são linfócitos T auxiliares cuja função passa pela coordenação e estimulação de todo o sistema imunitário que fica, assim, afectado.

Existem cerca de 32605 pessoas infectadas com o vírus HIV em Portugal. Há 24 anos foi diagnosticado o primeiro caso de SIDA em Portugal. A SIDA mata 4 pessoas por minuto em todo o mundo.  

 

É, sem dúvida, uma das doenças das quais mais se ouve falar... mas até que ponto a informação é correcta? Até que ponto não existem determinados mitos que prevalecem na mentalidade portuguesa?

Parece-me importante começar por distinguir um seropositivo de um indivíduo com SIDA. Um seropositivo é uma pessoa infectada com o vírus do HIV, mas não necessariamente doente. Quando o sistema imunitário destes indivíduos está muito deprimido (abaixo de determinado nível de linfócitos CD4+) ocorre um colapso do sistema imunitário, que abre o caminho a doenças oportunistas que podem levar à morte do doente. Neste caso temos um indivíduo doente com SIDA.

 

Há uns anos atrás a sobrevida média de um doente com SIDA era de entre 2 a 4 anos. Hoje em dia, graças sobretudo à nova terapêutica retroviral, um doente pode ter uma sobrevida de entre 30 a 40 anos. No entanto, a Medicina continua com os olhos colocados em diversos estudos inovadores, que buscam ansiosamente uma vacina milagrosa.

 

Embora pouco conhecida, existe uma profilaxia pós-exposição. Durante muitos anos ela denominou-se profilaxia pós-exposição ocupacional, já que se destinava apenas aos profissionais de saúde aquando da infecção com material contaminado. Actualmente, esta profilaxia está disponível a qualquer pessoa, apenas nas urgências hospitalares. Consiste num verdadeiro "cocktail" (combinação de vários medicamentos) de tratamento anti-retroviral, que visa impedir a replicação do vírus do HIV. É fundamental que esta profilaxia seja administrada após a exposição ao vírus, no máximo 72 horas após o contacto. O ideal, no entanto, é a administração da profilaxia nas 24 horas após a exposição ao vírus. Os medicamentos têm de ser tomados durante 28 dias, implicando um seguimento médico e análises de controlo. Esta método tem uma eficácia de cerca de 90%.

 

Nunca é demais lembrar a importância da PREVENÇÃO, mas também desmistificar algumas questões muitas vezes associadas a este problema de saúde pública.

Uma das ideias erradas fomentadas acerca da SIDA é a de que apenas afecta determinados grupos de risco (toxicodependentes, homossexuais, ...). Curioso é que esta ideia é, em parte, culpa das próprias campanhas de prevenção que, ao tentarem alertar determinados grupos para o risco de contaminação com o HIV, acabaram por levar outros a considerarem-se protegidos da mesma. Não há grupos de risco, mas sim comportamentos de risco! Prova disso mesmo, é que enquanto o número de infectados com o HIV tem vindo a diminuir entre os toxicodependentes, o mesmo número tem aumentado entre os heterossexuais, sobretudo as mulheres. Actualmente, os heterossexuais são um grande grupo de risco de contaminação pelo HIV. As mulheres casadas com mais de 50 anos têm-se revelado outro grupo de risco, já que devido à relação estável não usam preservativo durante as relações sexuais, e os maridos (infectados em relações paralelas) acabam por transmitir-lhes o vírus. Infelizmente este é o grupo mais complicado e de difícil acesso, enquanto alvo de prevenção. Neste sentido é fundamental mudar mentalidades. Os seropositivos devem ter a consciência do risco de transmissão e o respeito pelos outros para os informarem da sua condição ou, pelo menos (mesmo ocultando a sua seropositividade), tomarem as devidas precauções durante as relações com os parceiros.

 

 

Boa notícia é a redução de 93% da transmissão do HIV por via materno-fetal no nosso país. Isto revela que tem havido um correcto  e eficiente acompanhamento das gestantes e aconselhamento em testes de diagnóstico do vírus.

 

 Têm sido conhecidos alguns casos polémicos relacionados com alguma discriminação contra os seropositivos: estou a referir-me, claro está, aos casos do cozinheiro infectado com HIV que foi despedido e do médico cirurgião, cujo futuro profissional está a ser discutido.

Concordo que todas as pessoas devem procurar formular uma opinião nestes casos, mas é premente que o façam com base em informação correcta.

Isto é, como é que afinal se transmite o vírus do HIV?

O vírus apenas se transmite através do contacto entre fluidos corporais. A nossa pele (se saudável) é uma eficiente barreira contra solutos (mesmo que com alta concentração) de HIV, pelo que se um indivíduo seropositivo se cortar e tocarmos no seu sangue, não há risco de contágio, por exemplo. Existem algumas excepções. É o caso de eventuais feridas abertas que tenhamos. Nesse caso há risco de contacto entre o fluido com partículas virais e o nosso sangue e, consequentemente, risco de contágio. Da mesma forma, certas pessoas com determinadas doenças de pele (que a tornam menos resistente) podem estar mais susceptíveis a este contacto. As principais formas de contágio são as relações sexuais desprevenidas, o uso de seringas contaminadas, a transmissão materno-fetal, as transfusões sanguíneas, ...

 

Por fim, revela-se fundamental prevenir. E a prevenção assume várias dimensões no que à SIDA diz respeito.

Uma prevenção primária (prevenção da contaminação) passa pela sensibilização da população através de duas formas: informação acerca do que é o HIV e a SIDA, como se transmitem, qual a prevalência da doença no nosso país e educação para a adopção de comportamentos preventivos, abolindo práticas de risco. Entre os principais comportamentos de prevenção destacam-se o uso de preservativos nas relações sexuais, a utilização de seringas esterilizadas, a não partilha de objectos de higiene (como escovas de dentes), ...

Esta prevenção visa diminuir o número de infectados com o HIV.

 

A prevenção secundária apela à importância dos testes de rastreio para um diagnóstico precoce. Há uns anos, os testes não identificavam as partículas virais, mas apenas os anticorpos produzidos pelo nosso próprio sistema imunitário (contra as partículas invasoras). Isto levava a que se falasse de um período de janela imunológica de cerca de 3 meses, que consistia no tempo que demorava a eficiência da produção destes anticorpos , de forma a serem detectados pelos testes. Este é o período mais perigoso por dois motivos: o indivíduo não sabe que está infectado e, ao mesmo tempo, corresponde ao período em que ele é mais potencialmente infeccioso (ocorre uma grande replicaçao viral no seu organismo).

Actualmente, este tempo de janela diminuiu consideravelmente (cerca de 15 dias) graças aos testes de 4ªgeração, bastante mais eficientes e que detectam mesmo algumas partículas virais.

 

A prevenção terciária associa-se ao tratamento e à prevenção da evolução da doença, com base no conhecimento da história natural da mesma. Quanto mais precoce o diagnóstico, melhor o prognóstico. Quando obtém resultados positivos no teste, o indivíduo deve procurar um médico infecciologista a fim de proceder a uma prevenção da doença. Como já disse anteriormente, um indivíduo seropositivo não tem, necessariamente, de desenvolver a doença (SIDA), desde que seja tratado e acompanhado pelo clínico. Os tratamentos de indivíduos infectados com o HIV são gratuitos no nosso país.

 

Assim, neste dia simbólico é importante não esquecer que a SIDA continua a ser uma realidade e que é fundamental o desenvolvimento de uma cultura de prevenção, educando a população para os comportamentos preventivos e sensibilizando-a para a importância dos testes de rastreio e diagnóstico precoce da infecção com o vírus HIV.

 

 

 

publicado por Dreamfinder às 12:26

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.links